quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Final de ano cheio de experiências




<><>Já estamos na contagem dos dias para a virada de ano. Nesses momentos não faltam esperanças, desejos e alegrias. É a época em que as pessoas ficam mais alegres, envoltas no “espírito natalino”. Há uma maior preocupação com os outros e uma sensação de renovo, mesmo em meio às correrias de final de ano. Afinal, a vida não é feita só de trabalho e de cotidiano, todos precisamos desse eterno renovar, que nos dá força para continuar. Andando com o Memória pela cidade é possível sentir esse clima de alegria pela chegada do final de ano, da esperada férias e do ano novo.
<><>Semana passada visitamos uma escola na Ilha das Flores, Oscar Schmitt. É incrível como o Memória propicia a nós, que trabalhamos nele, experiências tão enriquecedoras no sentido social, educacional e humano. Certamente se não fosse pelo museu eu jamais iria visitar a Ilha das Flores, que ficou tão famosa com o documentário produzido anos atrás (1989), por Jorge Furtado. Uma cidade como Porto Alegre, com ares de metrópole, costuma criar certos nichos sociais, zonas de concentração de riqueza ou de exclusão social. Algumas regiões das ilhas são marcadas por essas questões, estão distantes do centro e geralmente não têm acesso à saúde, educação e cultura. Embora alguns alunos não morem na ilha, a maioria deles vive ali e não visita o centro, a menos que se organize um passeio com a escola. Portanto, levar a história do transporte na capital ajuda-os a construir uma identidade de porto-alegrense, embora “ a cidade” esteja, muitas vezes, distante de sua realidade.
<><>O interesse deles pelo Memória e o retorno que recebemos em termos de carinho e valorização é de se salientar. Muitos ficaram empolgados com a Porto Alegre antiga e com as riquezas dessa. Fiquei encantada com alguns meninos que trabalham desde cedo na reciclagem do lixo, mas que nem por isso se sentem vítimas da situação, antes têm dentro dos olhos uma certa maturidade que eu não saberia descrever, muito fruto das experiências que tiveram.
<><>No final de semana o Memória continuou em atividade, visitando dessa vez a feira de saúde na Hípica. Passamos o dia lá levando a história da Carris à Zona Sul da capital. Minha sincera homenagem aos profissionais que trabalharam no evento e que lutam dia após dia pela saúde pública no Brasil. A foto acima é do pessoal que organizou o evento. O agente comunitário que está no meio da fotogrfia foi funcionário da Carris, Cleiton.

Um comentário:

Raver disse...

mto linda as fotos nos posts sobre a modernidade ;)