segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Bondes no Brasil


<><>A história do bonde nas várias cidades onde transitou se assemelha muito. Quase todas iniciaram, assim como Porto Alegre, com os veículos movidos a tração animal e foram paulatinamente substituídos pelos movidos a eletricidade. Ao pesquisar na internet é possível encontrar, inclusive, diversas páginas sobre a história deles nas várias regiões do Brasil: Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza entre outras. Além, é claro, das páginas do pesquisador norte-americano, Allen Morrison que tem um portal todos os lugares por onde o bonde transitou.
<><>Os bondes utilizados no Brasil eram geralmente importados. No caso de Porto Alegre, vinham especialmente dos Estados Unidos, da Inglaterra e da Bélgica. A maior parte provinha dos norte-americanos - cerca de nove importações - , enquanto da Inglaterra vieram duas - os famosos gaiolas - e da Bélgica, uma. Talvez o motivo dessa importação massiva dos Estados Unidos seja porque a Carris pertenceu a uma empresa norte-americana - Bond & Share - durante quase três décadas (de 1926 a 1953).
<><>Por coincidência, os primeiros bondes surgiram em Nova York, em 1852. Eram tracionados por mulas, com uma gôndola e oito bancos de madeira com quatro lugares. Feitos de madeira, tinham rodas de ferro e andavam sobre trilhos. Originalmente eram chamados de Street Car e só posteriormente passaram a se chamar de Tram.
<><>No Brasil – esse dado é muito interessante, no mínimo -, os bondes iniciaram em 12 de março de 1856. Ou seja, o uso foi uma década antes de vários países da Europa: Alemanha, França, Inglaterra, Itália, Rússia, Holanda e Bélgica.
<><> Acima foto foi retirada daqui, é dos bondes a tração animal em São Paulo. As informações sobre o bonde também li ali também. A página pertence ao engenheiro, apaixonado por bondes, WernerVana.

Um comentário:

Mariana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.